Tributação previdenciária pode aumentar a folha de pagamento | Cebrasse




NOTÍCIAS



Tributação previdenciária pode aumentar a folha de pagamento

FEBRAC

19 de Outubro de 2010 

A próxima parcela mensal da contribuição social, cujo o prazo de vencimento é em 20 de outubro, pode representar um aumento significativo na folha de pagamento de algumas empresas. É o que afirma a advogada tributarista da Assis Advocacia, Thayse Tavares.

A contribuição social é um dos tributos cobrados para custear os serviços de assistência e previdência social. O aumento na folha de pagamento deve ocorrer devido a uma Instrução Normativa publicada pela Receita Federal que estabelece normas gerais de tributação previdenciária e de arrecadação das contribuições sociais destinadas à Previdência Social.

“A medida pode trazer alterações de 1% a 3% nas alíquotas do GILL-RAT [antigo Seguro de Acidente de Trabalho] sobre a folha de pagamento” declara.

Análise por atividade

A instrução determina que caso a pessoa jurídica desenvolva mais de uma atividade prevalecerá, para fins de classificação, a atividade preponderante, assim considerada a que representa o objeto social da empresa ou a unidade produto para qual convergem as demais em regime de conexão funcional.

“O ponto crucial da questão é que o GILL-RAT deve ser definido de acordo com as estatísticas de acidentes por CNPJ [Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas], observando-se a atividade preponderante em cada estabelecimento, e não de acordo com a Instrução Normativa”, diz.

Ela acrescenta que a medida generaliza a alíquota das empresas, pois não considera, por exemplo, a área administrativa, cujo índice de acidente é menor do que a operacional.

Em relação ao porte da empresa, a advogada declara que todas podem ser afetadas, já que o aumento considera a atividade da empresa e não o tamanho.

Ação judicial

As empresas que registrarem aumento em sua folha de pagamento devem recorrer judicialmente, pois a medida contraria uma súmula do STJ (Superior Tribunal de Justiça) sobre o grau de risco de acidentes.

“Se for verificado o aumento na alíquota, as empresas têm legitimidade para propositura de ações judiciais, visando o afastamento da exigência, em vista de que, a edição da Instrução Normativa, pela Secretaria da Receita Federal, contraria posicionamento outrora firmado pelo STJ”, finaliza.

 

Matérias anteriores  
   27/02/15 Governo planeja rever desoneração das folhas de pagamento
   27/02/15 Governo aumenta impostos sobre a folha de pagamentos
   26/02/15 Editorial: CPI privatizada
   26/02/15 Em um ano, taxa de desemprego sobe de 4,8% para 5,3%, aponta IBGE
   26/02/15 Governo lança sistema nacional para fechar empresa em um dia
   26/02/15 Setor de limpeza vai repassar custo de mudança em benefícios a contratos, diz federação
   26/02/15 Regulamentação de terceirizados será levada ao Plenário em abril
   26/02/15 Deputado Laércio Oliveira discute a distribuição de produtos e alimentos
   25/02/15 DEFASAGEM NA TABELA DO IR PASSA DE 60%
   23/02/15 DEFASAGEM NA TABELA DO IR PASSA DE 60%
   23/02/15 Tempestade perfeita ameaça o governo Dilma, diz acadêmico
   23/02/15 Setor de serviços apresenta menor crescimento dos últimos três anos
   20/02/15 Editorial: Realismo estadual
   20/02/15 Governo acena com correção de pelo menos 4,5% na tabela do IR
   20/02/15 Direito a dano moral decorrente de ato ilícito praticado pelo empregador
   18/02/15 Inflação alta deve frear criação de vagas no setor de serviços em 2015
   11/02/15 MTE lança medidas de combate à informalidade e sonegação do FGTS
   11/02/15 PL da terceirização é desarquivado e pode ir ao plenário da Câmara
   10/02/15 Dívida do Governo do RJ com fornecedores pode gerar demissões
   10/02/15 Valor de propina citada por delator é similar ao de doações oficiais ao PT
   10/02/15 Líder do PT admite que ajuste fiscal de Dilma terá alterações no Congresso
   03/02/15 Capacidade do sistema Cantareira sobe pela primeira vez no ano
   03/02/15 Indústria fecha ano com queda de 3,2%, pior resultado desde 2009
   02/02/15 Projeto de lei que define regras para terceirização de serviços deve ser aprovado? Sim
   02/02/15 Projeto de lei que define regras para terceirização de serviços deve ser aprovado? Não
   28/01/15 Dilma justifica medidas econômicas e pede empenho a ministros
   28/01/15 Ações da Petrobras chegam a cair mais de 10% após balanço, e afetam Bolsa
   28/01/15 Cálculo desprezado pela Petrobras trazia perda de R$ 88,6 bi com desvios
   28/01/15 Aécio, FHC e Alckmin reagem à articulação pró-Eduardo Cunha
   28/01/15 Governo de SP já planeja rodízio de até cinco dias sem água por semana

VER NOTÍCIAS ANTERIORES


  CEBRASSE © 2015 CENTRAL BRASILEIRA DO SETOR DE SERVIÇOS English Version
Av. Paulista, 726 - 7ºAndar Cj. 710 - - São Paulo - SP - (11) 3251.0669 / 3253.1864 - FAX: 3253.1864
Criação de Sites
YoutubeTwiitterLinkedin Facebook