Tributação previdenciária pode aumentar a folha de pagamento | Cebrasse




NOTÍCIAS



Tributação previdenciária pode aumentar a folha de pagamento

FEBRAC

19 de Outubro de 2010 

A próxima parcela mensal da contribuição social, cujo o prazo de vencimento é em 20 de outubro, pode representar um aumento significativo na folha de pagamento de algumas empresas. É o que afirma a advogada tributarista da Assis Advocacia, Thayse Tavares.

A contribuição social é um dos tributos cobrados para custear os serviços de assistência e previdência social. O aumento na folha de pagamento deve ocorrer devido a uma Instrução Normativa publicada pela Receita Federal que estabelece normas gerais de tributação previdenciária e de arrecadação das contribuições sociais destinadas à Previdência Social.

“A medida pode trazer alterações de 1% a 3% nas alíquotas do GILL-RAT [antigo Seguro de Acidente de Trabalho] sobre a folha de pagamento” declara.

Análise por atividade

A instrução determina que caso a pessoa jurídica desenvolva mais de uma atividade prevalecerá, para fins de classificação, a atividade preponderante, assim considerada a que representa o objeto social da empresa ou a unidade produto para qual convergem as demais em regime de conexão funcional.

“O ponto crucial da questão é que o GILL-RAT deve ser definido de acordo com as estatísticas de acidentes por CNPJ [Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas], observando-se a atividade preponderante em cada estabelecimento, e não de acordo com a Instrução Normativa”, diz.

Ela acrescenta que a medida generaliza a alíquota das empresas, pois não considera, por exemplo, a área administrativa, cujo índice de acidente é menor do que a operacional.

Em relação ao porte da empresa, a advogada declara que todas podem ser afetadas, já que o aumento considera a atividade da empresa e não o tamanho.

Ação judicial

As empresas que registrarem aumento em sua folha de pagamento devem recorrer judicialmente, pois a medida contraria uma súmula do STJ (Superior Tribunal de Justiça) sobre o grau de risco de acidentes.

“Se for verificado o aumento na alíquota, as empresas têm legitimidade para propositura de ações judiciais, visando o afastamento da exigência, em vista de que, a edição da Instrução Normativa, pela Secretaria da Receita Federal, contraria posicionamento outrora firmado pelo STJ”, finaliza.

 

Matérias anteriores  
   30/08/14 Copa reduz atividade da indústria e desacelera serviços no PIB do 2º tri
   30/08/14 Economia brasileira entra em recessão com recuo de 0,6% no segundo trimestre
   21/08/14 Julho tem a pior criação de vagas em 15 anos; é 'fundo do poço', diz ministro
   20/08/14 Segundo trimestre foi fracasso para indústria e ano está perdido, diz CNI
   20/08/14 Limites ao endividamento afetam comércio varejista
   18/08/14 O impasse da terceirização
   18/08/14 Com serviços e setor público, Brasil cria 1,49 milhão de vagas em 2013
   15/08/14 Carga do roubo milionário à Samsung é encontrada no Paraguai, diz polícia
   15/08/14 TV por assinatura não precisa oferecer benefício novo a cliente antigo
   15/08/14 "Abandonar as próprias vontades para julgar é o custo da democracia"
   12/08/14 Empresas dizem que competitividade vai cair se terceirização for proibida
   12/08/14 STJ e a contribuição previdenciária sobre férias usufruídas
   11/08/14 Cenários possíveis
   11/08/14 Atividades fim e meio na terceirização
   07/08/14 urma mantém decisão sobre licitude de terceirização em presídios do Ceará
   04/08/14 PIB brasileiro deve crescer apenas 0,86% em 2014, conforme Focus
   04/08/14 Mercado reduz previsão de inflação em 2014 pela terceira vez seguida
   04/08/14 Empresários vão reduzir doações a parlamentares nas eleições deste ano
   30/07/14 Artigo José Pastore e Eduardo G Patores no Estadão - A terceirização saiu do âmbito do TST
   30/07/14 "Sem lei sobre terceirização, TST atuará como legislador"
   30/07/14 CNI sabatina o tucano Aécio Neves
   26/07/14 "Presidente do TST explica alterações recursais na JT"
   24/07/14 Serviços auxiliares do transporte aéreo movimentam R$ 3,12 bilhões
   21/07/14 Remessas de lucro do setor automotivo recuam 58% no ano
   21/07/14 Inadimplência cai no 1º semestre, mas tendência é de alta, diz Serasa
   21/07/14 Mercado estima pela primeira vez PIB abaixo de 1% em 2014
   21/07/14 Serviços vão pagar menos tributos em 2015
   18/07/14 Dilma lidera com 36%, mas empata com Aécio no 2º turno, diz Datafolha
   17/07/14 Setor atacadista abre espaço para ouvir presidenciáveis
   17/07/14 Sem efeito Copa, serviços crescem 6,6%, segundo pior ritmo da pesquisa do IBGE

VER NOTÍCIAS ANTERIORES


  CEBRASSE © 2014 CENTRAL BRASILEIRA DO SETOR DE SERVIÇOS English Version
Av. Paulista, 726 - 7ºAndar Cj. 710 - - São Paulo - SP - (11) 3251.0669 / 3253.1864 - FAX: 3253.1864
Criação de Sites
Curta a Cebrasse no Facebook Assista nossos vídeos no Youtube