Empresas já podem recolhe RAT/SAT sem o índice do FAP | Cebrasse




NOTÍCIAS



Empresas já podem recolhe RAT/SAT sem o índice do FAP

Jornal Empresas e Negócios

02 de Agosto de 2010 

 

Sábado, 02 de agosto de 2010

Empresas já podem recolhe RAT/SAT sem o índice do FAP

Presidente do Sindeprestem, Vander Morales.

Representando mais de três mil empresas do setor, o Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão de Obra e de Trabalho Temporário no Estado de São Paulo (Sindeprestem), comemora vitória em ação judicial movida para afastar a aplicação do Fator Acidentário de Prevenção – FAP à alíquota do RAT/SAT

 

Em razão disso, empresas filiadas e associadas que optarem por utilizar a decisão deverão efetuar o recolhimento do RAT/SAT sem a aplicação do índice do FAP, divulgado pelo Ministério da Previdência Social no final do ano passado.

De acordo com Vander Morales, presidente da entidade, a decisão da juíza Tais Vargas Ferracini de Campos Gurgel da 4ª. Vara Federal/SP foi importante porque, além do reenquadramento, a aplicação do FAP aumentava o valor das contribuições - que chegou a mais de 4% sobre a folha de pagamento daquelas empresas. Em sua decisão, a juíza entendeu também que, embora previsto em lei, o FAP teve metodologia de cálculo estabelecida por decretos e resoluções do Conselho Nacional de Previdência Social, contrariando a Constituição Federal e o Código Tributário Nacional.

Em razão disso, empresas filiadas e associadas que optarem por utilizar a decisão deverão efetuar o recolhimento do RAT/SAT sem a aplicação do índice do FAP, divulgado pelo Ministério da Previdência Social no final do ano passado. Segundo Vander, a decisão foi importante porque, além do reenquadramento, a aplicação do FAP aumentava o valor das contribuições.

O FAP, que varia de 0,5% a 2%, foi adotado para reduzir ou aumentar as alíquotas do SAT, com base nos índices de cada contribuinte, podendo ser reduzidas ou aumentarem significativamente. Contudo, as empresas têm um índice de acidentes de trabalho bastante razoável, e não há como controlar os riscos. Em sua decisão, a juíza entendeu também que, embora previsto em lei, o FAP teve metodologia de cálculo estabelecida por decretos e resoluções que contrariam a Constituição e o Código Tributário Nacional.

 

Matérias anteriores  
   21/08/14 Julho tem a pior criação de vagas em 15 anos; é 'fundo do poço', diz ministro
   20/08/14 Segundo trimestre foi fracasso para indústria e ano está perdido, diz CNI
   20/08/14 Limites ao endividamento afetam comércio varejista
   18/08/14 O impasse da terceirização
   18/08/14 Com serviços e setor público, Brasil cria 1,49 milhão de vagas em 2013
   15/08/14 Carga do roubo milionário à Samsung é encontrada no Paraguai, diz polícia
   15/08/14 TV por assinatura não precisa oferecer benefício novo a cliente antigo
   15/08/14 "Abandonar as próprias vontades para julgar é o custo da democracia"
   12/08/14 Empresas dizem que competitividade vai cair se terceirização for proibida
   12/08/14 STJ e a contribuição previdenciária sobre férias usufruídas
   11/08/14 Cenários possíveis
   11/08/14 Atividades fim e meio na terceirização
   07/08/14 urma mantém decisão sobre licitude de terceirização em presídios do Ceará
   04/08/14 PIB brasileiro deve crescer apenas 0,86% em 2014, conforme Focus
   04/08/14 Mercado reduz previsão de inflação em 2014 pela terceira vez seguida
   04/08/14 Empresários vão reduzir doações a parlamentares nas eleições deste ano
   30/07/14 Artigo José Pastore e Eduardo G Patores no Estadão - A terceirização saiu do âmbito do TST
   30/07/14 "Sem lei sobre terceirização, TST atuará como legislador"
   30/07/14 CNI sabatina o tucano Aécio Neves
   26/07/14 "Presidente do TST explica alterações recursais na JT"
   24/07/14 Serviços auxiliares do transporte aéreo movimentam R$ 3,12 bilhões
   21/07/14 Remessas de lucro do setor automotivo recuam 58% no ano
   21/07/14 Inadimplência cai no 1º semestre, mas tendência é de alta, diz Serasa
   21/07/14 Mercado estima pela primeira vez PIB abaixo de 1% em 2014
   21/07/14 Serviços vão pagar menos tributos em 2015
   18/07/14 Dilma lidera com 36%, mas empata com Aécio no 2º turno, diz Datafolha
   17/07/14 Setor atacadista abre espaço para ouvir presidenciáveis
   17/07/14 Sem efeito Copa, serviços crescem 6,6%, segundo pior ritmo da pesquisa do IBGE
   17/07/14 Aécio promete manter programas sociais e rever Mais Médicos
   17/07/14 No menor resultado do ano, 'prévia do PIB' encolhe 0,18% em maio

VER NOTÍCIAS ANTERIORES


  CEBRASSE © 2014 CENTRAL BRASILEIRA DO SETOR DE SERVIÇOS English Version
Av. Paulista, 726 - 7ºAndar Cj. 710 - - São Paulo - SP - (11) 3251.0669 / 3253.1864 - FAX: 3253.1864
Criação de Sites
Curta a Cebrasse no Facebook Assista nossos vídeos no Youtube