Salário Mínimo em São Paulo | Cebrasse




NOTÍCIAS



Salário Mínimo em São Paulo



03 de Agosto de 2007 

SALÁRIO MÍNIMO NO ESTADO DE SÃO PAULO – A partir de 1º de agosto de 2007 A partir de 1º de agosto/2007 diversas categorias de trabalhadores da iniciativa privada que recebem o salário mínimo no Estado de São Paulo terão aumento salarial, pois entra em vigor a Lei nº 12.640, assinada pelo governador José Serra em 11 de julho passado. No âmbito do Estado de São Paulo, os pisos salariais mensais dos trabalhadores a seguir indicados ficam fixados em: I - R$ 410,00 (quatrocentos e dez reais), para os trabalhadores domésticos, serventes, trabalhadores agropecuários e florestais, pescadores, contínuos, mensageiros e trabalhadores de serviços de limpeza e conservação, trabalhadores de serviços de manutenção de áreas verdes e de logradouros públicos, auxiliares de serviços gerais de escritório, empregados não-especializados do comércio, da indústria e de serviços administrativos, cumins, "barboys", lavadeiros, ascensoristas, "motoboys", trabalhadores de movimentação e manipulação de mercadorias e materiais e trabalhadores não-especializados de minas e pedreiras; II - R$ 450,00 (quatrocentos e cinqüenta reais), para os operadores de máquinas e implementos agrícolas e florestais, de máquinas da construção civil, de mineração e de cortar e lavrar madeira, classificadores de correspondência e carteiros, tintureiros, barbeiros, cabeleireiros, manicures e pedicures, dedetizadores, vendedores, trabalhadores de costura e estofadores, pedreiros, trabalhadores de preparação de alimentos e bebidas, de fabricação e confecção de papel e papelão, trabalhadores em serviços de proteção e segurança pessoal e patrimonial, trabalhadores de serviços de turismo e hospedagem, garçons, cobradores de transportes coletivos, "barmen", pintores, encanadores, soldadores, chapeadores, montadores de estruturas metálicas, vidreiros e ceramistas, fiandeiros, tecelões, tingidores, trabalhadores de curtimento, joalheiros, ourives, operadores de máquinas de escritório, secretários, datilógrafos, digitadores, telefonistas, operadores de telefone e de "telemarketing", atendentes e comissários de serviços de transporte de passageiros, trabalhadores de redes de energia e de telecomunicações, mestres e contramestres, marceneiros, trabalhadores em usinagem de metais, ajustadores mecânicos, montadores de máquinas, operadores de instalações de processamento químico e supervisores de produção e manutenção industrial; III - R$ 490,00 (quatrocentos e noventa reais), para os administradores agropecuários e florestais, trabalhadores de serviços de higiene e saúde, chefes de serviços de transportes e de comunicações, supervisores de compras e de vendas, agentes técnicos em vendas e representantes comerciais, operadores de estação de rádio e de estação de televisão, de equipamentos de sonorização e de projeção cinematográfica e técnicos em eletrônica. Os pisos salariais fixados nesta lei não se aplicam aos trabalhadores que tenham outros pisos definidos em lei federal, convenção ou acordo coletivo, aos servidores públicos estaduais e municipais, bem como aos contratos de aprendizagem regidos pela Lei federal nº 10.097, de 19 de dezembro de 2000. Fonte: Lei do Estado de São Paulo nº 12.640 de 11.07.2007, DOE-SP de 12.07.2007. INSS - Pisos salariais dos Estados não influenciam valor dos benefícios previdenciários A adoção de pisos salariais em todos os Estados da Federação e no Distrito Federal, autorizada pela Lei Complementar nº 103/2000, para empregados que não tenham piso salarial definido em lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho, não influencia o valor dos benefícios previdenciários. Esses valores são determinados pelas Leis Federais nºs 8.213/1991 e 9.876/1999. Além de São Paulo, cujos pisos salariais entram em vigor hoje, dia 1º.08.2007, Estados como Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul já adotaram pisos, mas, para efeitos do Regime Geral da Previdência Social (RGPS), o valor dos benefícios têm por base o Salário de Benefício (SB). (Fonte: www.previdenciasocial.gov.br)

 

Matérias anteriores  
   01/09/15 Diap divulga lista dos “Cabeças" do Congresso em 2015
   01/09/15 Por que terceirizar?
   01/09/15 Comissão aprova alteração do prazo para o repasse da contribuição sindical
   28/08/15 ECONOMIA BRASILEIRA ENCOLHEU 1,9% NO 2º TRIMESTRE, APONTA IBGE
   27/08/15 CNI classifica de 'absurdo' projeto de volta da cobrança da CPMF
   25/08/15 Crise na Petrobras e ajuste afetam emprego no Rio, diz secretário
   23/08/15 Ação contra terceirização deve apresentar como ré a empresa beneficiada
   21/08/15 Evento realizado pela Febrac disponibilizará cerca de 8 mil vagas de emprego
   21/08/15 Unificação do PIS e da Cofins pode gerar aumento de tributos
   18/08/15 Governo prepara pacote que inclui crédito para empresa que não demitir
   17/08/15 Tributaristas criticam MP que obriga empresas a declarar planejamento tributário
   12/08/15 Economistas preveem queda de 1,97% do PIB em 2015 e estagnação em 2016
   12/08/15 Comércio tem queda de 2,2% no semestre, o pior resultado em 12 anos
   12/08/15 Dilma ataca ‘vale tudo’ e recorre a militância organizada e a Renan
   12/08/15 Dilma fecha com Renan para isolar Cunha e abraça plano polêmico
   11/08/15 Renan quer reforma do ICMS e regulamentação de terceirização
   08/08/15 Para presidente do Bradesco, crise é grave e solução exige 'grandeza'
   08/08/15 Vácuo de legitimidade
   05/08/15 Terceirização de mão de obra vai reduzir insegurança jurídica, diz Abit
   04/08/15 Terceirização eleva emprego formal no país, diz a LCA Consultores
   04/08/15 Empresários e especialistas debatem a terceirização como estratégia de negócios no Brasil
   04/08/15 Economista e sindicalista divergem sobre efeitos da terceirização
   03/08/15 Instituições de ensino acusam o Planalto de quebrar contratos e dar calote
   03/08/15 Local da prestação do serviço também determina qual vara julgará ação
   01/08/15 Petrobras pede que STF libere terceirização em serviço especializado
   30/07/15 Entenda o que é a inflação, essa velha conhecida que está de volta
   30/07/15 Juros sobem pela 7ª vez seguida e Selic chega a 14,25%, maior nível em 9 anos
   28/07/15 TJ-SP derruba norma sobre quebra de sigilo bancário
   27/07/15 TJ-SP derruba norma sobre quebra de sigilo bancário
   21/07/15 Empresa deve esgotar banco de horas e férias para aderir a plano de emprego

VER NOTÍCIAS ANTERIORES


  CEBRASSE © 2015 CENTRAL BRASILEIRA DO SETOR DE SERVIÇOS English Version
Av. Paulista, 726 - 7ºAndar Cj. 710 - - São Paulo - SP - (11) 3251.0669 / 3253.1864 - FAX: 3253.1864
Criação de Sites
YoutubeTwiitterLinkedin Facebook