Cebrasse News - 20 de Dezembro de 2007
ENTIDADES AFILIADAS CEBRASSE


FEBRAC
FEHOESP
FENAVIST
SEAC-ABC
SEAC-DF
SEAC-ES
SEAC-MG
SEAC-MS
SEAC-PA
SEAC-PR
SEAC-RJ
SEAC-SC
SEAC-SP
SELUR
SESCON-SP
SESVESP
SETA
SINDEPRESTEM
SINDESP-DF
SINDESP-ES
SINDIMOTOR
SINDHOSP
SINEATA
SINSERHT-MG

ABEMPI
ABF
ABRALIMP
ABRASEL
ABRELPE
ABREVIS
ADIPLAN
ADLIM
ADORC
AMBC
APRAG
ARAUJO ABREU
EQUAÇÂO
ESCOLTA

FENACON
GALES
GB SERVIÇOS
GRUPO ALBATROZ
GUIMA
MARICATO ADV.
NAC
NEO TV
ORSEGUPS LTDA.
PLANINVESTI
POLICRED
QUALITY AMJ
STA CONTABIL
UPS BENEFICIOS



APOIADORES CEBRASSE

SEAC SP
SESCON SP
SESVESP
SINDEPRESTEM

FAEASP
FCDL
FEBRAC
FEHOESP
FENASERTH
FENAVIST
SEAC ABC
SEAC DF
SEAC ES
SEAC MG
SEAC MS
SEAC PA
SEAC PR
SEAC RJ
SEAC SC
SEAC SP
SELUR
SESCON
SESVESP
SIMPRES
SINAENCO
SINDCONT SP
SINDEPRESTEM
SINDERC SP
SINDESP DF
SINDESP ES
SINDHOSP
SINDITELEBRASIL
SINEATA
SINEPE DF
SINSERHT MG
ABEMPI
ABERC
ABES
ABF
ABLA
ABMS
ABPITV
ABRALIMP
ABRASEL
ABRAT
ABRELPE
ABREVIS
ABTA
ACONBRÁS
ADORC
ADVB
AHESP
ANCLIVEPA
ANFAC
APIMEC
APRAG
ASSERTTEM
CRA
CRC
IBEF
NEO TV
NTC & LOGÍSTICA



Peso do setor de serviços faz capitais concentrarem renda do País

Paula Leite, repórter Último Segundo

SÃO PAULO - O cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios brasileiros mostra que a renda do País está concentrada em poucas cidades. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os cinco municípios com os maiores PIBs – São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Belo Horizonte - concentram 24% da produção brasileira.

Fatia de SP no PIB cresceu para 12,3% em 2005, diz IBGE

A nova metodologia do cálculo do PIB, anunciada em março pelo IBGE, passou a dar peso maior ao setor de serviços. “A indústria no Brasil estava superestimada”, diz Sheila Zani, técnica do IBGE. “A renda está concentrada em poucas cidades porque as capitais têm peso muito grande no setor de serviços”, diz ela, que cita segmentos como administração pública e instituições financeiras, que se concentram nas capitais.

Participação dos maiores municípios no PIB, em %

São Paulo/SP
12,26
Rio de Janeiro/RJ
5,54
Brasília/DF
3,75
Curitiba/PR
1,39
Belo Horizonte/MG
1,32
Soma
24,26

A força dos serviços é visível quando se analisam os municípios que mais ganharam participação no PIB total brasileiro entre 2002 e 2005 (considerando cidades com participação de ao menos 0,5% no PIB nacional). A cidade campeã nesse critério foi Barueri, no Estado de São Paulo.

Municípios que mais ganharam participação no PIB

  Participação em 2005, em %
Barueri/SP
1,0
Campos dos Goytacazes/RJ
0,8
Vitória/ES
0,7
Duque de Caxias/RJ
0,9
Osasco/SP
0,9

“O setor financeiro ganhou muita força por conta da expansão do crédito e Barueri tem sedes de instituições financeiras”, diz Zani. A terceira e a quinta cidades que mais aumentaram sua participação, Vitória e Osasco, também têm concentração de empresas de serviços.

Já a segunda e a quarta colocadas nesse critério, Campos dos Goytacazes (RJ) e Duque de Caxias (RJ) foram beneficiadas pela expansão do setor de petróleo. Campos é forte em extração de petróleo e gás natural, enquanto Duque de Caxias concentra refinarias. “Os municípios do Estado do Rio de Janeiro ganharam muito com a expansão do setor extrativo”, diz Zani.

PIB per capita

Na comparação do PIB per capita (a renda do município dividida pelo total de habitantes) das cidades, a situação é diferente. Municípios com população pequena se beneficiam da presença de empresas ou fábricas grandes.

As duas cidades com os maiores PIBs per capita, Cascalho Rico (MG) e Araporã (MG), têm grandes hidrelétricas instaladas. São Francisco do Conde (BA) e Triunfo (RS), terceira e quarta cidades na comparação, têm pólos petroquímicos, enquanto Porto Real (RJ), a quinta colocada, tem indústria automobilística.

Entre as capitais, a campeão em PIB per capita é Vitória, com renda de R$ 47.855 por habitante por ano, seguida de Brasília (R$ 34.510) e São Paulo (R$ 24.083).


CEBRASSE NEWS

CEBRASSE - Central Brasileira do Setor de Serviços
(11) 3825-8995 (11) 3828-3536
www.cebrasse.org.br