Mantenedores e Apoiadores da Cebrasse

Setor de serviços atento à aplicabilidade da lei da Terceirização

O mercado deve se organizar diante do novo marco regulatório

Entidade empresarial a que se associam cerca de 70 sindicatos, federações, associações e empresas de trinta segmentos de atividades terceirizáveis junto a governos e toda cadeia produtiva, a Central Brasileira do Setor de Serviços - Cebrasse tem uma de suas maiores conquistas na sanção presidencial, em 31 de março, do projeto de lei 13.429/2017 que regulamenta a Terceirização e dispõe sobre o Trabalho Temporário.

Em grande parte, ambas as modalidades de mercado se concentram nas cerca de 54 mil empresas vinculadas aos associados à Cebrasse - cujo nível de empregabilidade é estimado em torno de 14 milhões de trabalhadores formais por via da Terceirização, e de oitocentos mil deles que diariamente prestam serviços temporários. Em números totais, o setor de serviços respondem por cerca de 70% do PIB e é o maior empregador do País.

De acordo com o presidente da Cebrasse, João Diniz, tanto as empresas prestadoras de serviços quanto seus tomadores dos setores público e privado vinham se ressentindo da insegurança jurídica e da intranquilidade que prejudicavam o ciclo dos negócios. O empresário salienta que o recente marco regulatório da terceirização exige que seus agentes se organizem em suas gestões e formas de se relacionar com os contratantes dos serviços especializados que disponibilizam.

O primeiro passo da Cebrasse nesse sentido será na próxima segunda-feira (26/06), quando José Pastore, Marlos Melek, Gaudêncio Torquato; o relator do PL da Terceirização, deputado Laércio Oliveira, e lideranças empresariais da Diretoria Nacional da Cebrasse discutirão cenários da aplicabilidade da nova lei, das 8h00 às 13h00, no Novotel Jaraguá na capital paulista, no II Fórum Cebrasse do Setor de Serviços: A nova lei da Terceirização. Brasil com DNA de Primeiro Mundo.

Programação:

Às 8h00 - Welcome Coffee e cadastramento

Às 8h30 - Abertura, com homenagens ao deputado relator do projeto que regulamentou a Terceirização e o Trabalho Temporário, Laércio Oliveira (SD/SE), e aos palestrantes José Pastore, Gaudêncio Torquato e Marcos Melek.

Às 9h00, o sociólogo, professor e consultor em Relações de Trabalho José Pastore abrirá o primeiro

módulo com o tema “O entendimento do novo momento trabalhista brasileiro, com a lei da terceirização”.

Às 9h40, o especialista em Ciência da Computação e gerente de Desenvolvimento e Evangelizador da TOTVS Marcelo Bomura Abe exporá “Os desafios e possibilidades da gestão tecnológica, com a lei da Terceirização”.

Das 10h20 às 10h40 - Coffee Breack

Às 10h40, o juiz federal Marcos Melek, autor do livro “Trabalhista! E agora? Onde as empresas mais erram” e membro da Comissão de Redação Final da Reforma Trabalhista, falará sobre “O que esperar da reforma trabalhista em um ambiente hostil para os negócios”.

Às 11h15, moderado pelo presidente da Cebrasse João Diniz, o último módulo reunirá os empresários Rui Monteiro - presidente do Conselho Deliberativo da Cebrasse e do sindicato paulista das Empresas de Asseio e Conservação (SEAC-SP), e Vander Morales - membro desse Conselho e presidente do sindicato paulista (Sindeprestem) e da federação nacional (Fenaserhtt) das empresas de serviços terceirizáveis e de trabalho temporário; o consultor Político Gaudêncio Torquato; Lívio Giosa, presidente do Centro Nacional de Modernização Empresarial (Cenam); e Ermínio Lima Neto, assessor Político da Cebrasse.

Saiba mais

 

CEBRASSE - Central Brasileira do Setor de Serviços

Entre em contato

Telefones

Telefones: (11) 3251.0669 / 3253.1864 - Fax: (11) 3253.1864

Endereço

Av. Paulista, 726 - 7ºAndar Cj. 710 - São Paulo - SP - CEP 01310-100

CLIQUE AQUI E VEJA O CALENDÁRIO DE REUNIÕES
Use as setas abaixo para trocar de mês, e aguarde alguns instantes para o carregamento dos eventos.