Mantenedores e Apoiadores da Cebrasse

Febrac Matos & Monteiro - Consultoria de planos de sáude para empresas Facilities-Insight TOTVS Tecnologia SEAC-SP Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação no Estado de São Paulo SINDICATO DAS EMPRESAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS A TERCEIROS, COLOCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE MÃO DE OBRA, LEITURA, MEDIÇÃO E ENTREGA DE CONSUMO DE LUZ, ÁGUA E GÁS ENCANADO, CONTROLE DE ACESSO DE PORTARIA, PROMOÇÃO E MERCHANDISING, LOGÍSTICA, POUPATEMPO/DETRAN, BOMBEIROS PROFISSIONAIS CIVIS E DE TRABALHO TEMPORÁRIO NO ESTADO DE SÃO PAULO
TOTVS ERP

Pesquisa Anual de Serviços

SERVIÇOS EMPRESARIAIS NÃO FINANCEIROS

A testemunha na Justiça do Trabalho

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região

Por um país sem aumento de impostos

O crescimento e a retomada do Brasil se dará pela geração de empregos e não aumento de impostos. O consumidor, trabalhadores e empresas não podem pagar ainda mais pela incapacidade do Estado de conter seus custos. Por estes motivos, o SEAC-SC alerta para a Reforma do PIS/COFINS, assunto que deverá entrar na pauta do poder legislativo nas próximas semanas.

O setor de serviços será um dos mais afetados pelo aumento do PIS/COFINS, trazendo prejuízos incalculáveis para as empresas que sofrerão inúmeras reduções de contratos, impossibilitando a geração de novos investimentos e empregos. O aumento de impostos, representaria um crescimento de custo no PIS/COFINS de mais de 100% em relação ao valor atual.

Segundo estudos realizados por entidades do setor, usando como fonte índices de 2013 do IPT/Fenacom, segmentos que atualmente pagam a alíquota entre 3,65% e 9,25% sobre o faturamento, passariam a uma taxa única de 9,25% da arrecadação. O aumento do preço dos serviços ao consumidor seria superior a 3%, em média R$50 bilhões a mais de impostos pagos por ano em todo o país.

O Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), também destaca que 20 milhões de postos de trabalho estariam em risco, afetando 1,5 milhão de empresas. A previsão é que a cada 10 vagas de empregos, duas serão extintas por conta dos aumentos de gastos.

Para barrar a proposta do governo, as entidades empresariais de Segurança Privada e Terceirização no estado seunem à Associações Comerciais, representantes dos setores da construção civil, transportes e serviços com o intuito de conscientizar a população sobre os danos causados por mais aumentos de impostos.

A ideia é mobilizar nacionalmente os setores econômicos envolvidos, para debater o impacto na produtividade e no emprego formal, e o consequente aumento de preços que virão com a mudança do PIS/COFINS. O Brasil vive uma recuperação econômica, o momento é de manter o otimismo, sem aumentos de impostos que irão refletir em toda população.

Avelino Lombardi
Presidente do Sindicato Empresas de Asseio, Conservação e Serviços Terceirizados de SC (SEAC-SC) e Vice-Presidente Suplente da Cebrasse.

VII Prêmio Cebrasse do Setor de Serviços - ENTREVISTAS

DESTAQUE NA MÍDIA

Alexandre de Moraes: Presunção de inocência e efetividade judicial

Brasil patina na guerra fiscal global e pode perder novos investimentos

Cebrasse na Mídia

News de 10 de Dezembro de 2017

Assista abaixo o pronunciamento de Rodrigo Maia

Jornal da Cultura - Prêmio Cebrasse do Setor de Serviços

Pesquisa Cebrasse - REFORMA TRABALHISTA

Entre em contato

Telefones

Telefones: (11) 3251.0669 / 3253.1864 - Fax: (11) 3253.1864
(11) 5093-9936 - Assessora de Imprensa - Lúcia Tavares

Endereço

Rua Baronesa de Bela Vista 411 - Vila Congonhas -conj 304,305
São Paulo - SP - CEP 04612-001

CLIQUE AQUI E VEJA O CALENDÁRIO DE REUNIÕES
Use as setas abaixo para trocar de mês, e aguarde alguns instantes para o carregamento dos eventos.